terça-feira, 14 de março de 2017

Retratos de Mulheres (extracto)



Primeiro interessou-me o seu ar espiritual,
as suas idéias, a sua percepção do mundo.
Depois notei o perfume, doce e delicado,
as marcas de baton nos copos descartáveis,
os seios que eram como pêras maduras.
E foi num debate — ela sentada, eu de pé —
sobre a existência ou não existência de Deus
— ela citando o Evangelho, eu Mersault —
que o telefone tocou e para atendê-lo
ela revelou a espantosa delícia
que eram as suas coxas grossas e rijas.
Estremeci e concluí que deus ou a alma
são coisas distantes e sem propósito.
Quero fodê-la, penso e afirmo
com toda a vulgaridade que permite a poesia.

por Daniel Francoy in Em Cidade Estranha/Retratos de Mulheres
fotografia de autor desconhecido

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

A língua lambe


A língua lambe as pétalas vermelhas
da rosa pluriaberta; a língua lavra
certo oculto botão, e vai tecendo
lépidas variações de leves ritmos.
E lambe, lambilonga, lambilenta,
a licorina gruta cabeluda,
e, quanto mais lambente, mais ativa,
atinge o céu do céu, entre gemidos,
entre gritos, balidos e rugidos
de leões na floresta, enfurecidos.

por Carlos Drummnod de Andrade
fotografia de autor desconhecido

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Uma menina


água, tua música de pele
e cheiro fluindo de florações
impalpáveis, chuva acesa
no centro do abismo, onde flutuam
manhãs

terra, teus passos tua voz teus
ruídos de amor e um gozo
além das cordilheiras do sonho
tecendo galáxias, vertiginosa
raiz

ar, teu gesto marinho, olhos
feitos do arremesso do mar
e a centelha invisível a mover
os labirintos do vento, cósmica
serpente

fogo, teu corpo de medusas
e feridas vivas, vulcões,
planeta todo luz, talvez paixão,
pássaro tatuado nas estrelas,
coração

por Afonso Henriques Neto
fotografia de David Hamilton

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Parched


With each warming word,
each lusty sighing breath
you draw my milky fluid forth
tissue swelling swollen sweet
lotus bud bursts to blooming
wetness wild drenching
inner thighs sex slipping
against one another
engorged with red love
squirming delirious discomfort
the best kind of torture…
so take me home with you
tease me hard till I come
heaving heavy hot breaths
watching you privately perform
show me your thick pulsing heat
fill me with it hard and deep
let my rosy gates welcome
you in with warm wet embrace
over and over, over and over
dehydrated by climactic end
thirsty for hydration, I beg
drip drops of quenching water
in my gaping mouth if I behave
then show me exactly what
to do to you once more
to please your soul with mine
to make me parched again

by Emily Clapper
photography of Stanislav Blagenkov