domingo, 26 de setembro de 2010

Adormecer


Adormecer
assim: inclinado
sobre um rio
em repouso.
A mão esquerda
caída em palma
no crânio; a boca
no ombro no aroma
da pele; o joelho
e a mão direita
na coxa no canteiro ainda
molhado. Acordar assim: ouvir
o breve adágio do corpo amado
a respiração pouco a pouco mais tumultuosa
sob os lençóis subitamente visitados
pelo sol da manhã.

por Casimiro de Brito in 69 poemas de amor
fotografia de Willyam Bradberry



P.S.: que me perdoe o autor a ousadia de dar um título ao seu poema.

6 comentários:

menina fê disse...

sol visitando um lençol cheio de pecado abençoado.

blog tá lindo. parabéns!

bjs meus

Marta disse...

Adormecer e acordar depois de uma noite de paixão, cheio ainda de sabores e desejos...
Gostei...
Beijos e abraços
Marta

@tt disse...

Sempre tão... delicioso!


=))
Beijos meus.

Pedro M disse...

Minha querida Menina Fê,

mas o pecado é tãããoooo bom :-)

Um beijo

Pedro

Pedro M disse...

mmm Marta...

é um doce acordar, entre cheiros, sabores e toques :-)

Um beijo

Pedro

Pedro M disse...

Ohhh minha querida @tt...

não brinque, deliciosa é a menina e o seu sorriso :-)

Um beijo