sábado, 8 de agosto de 2009

Ternura


Desvio dos teus ombros o lençol,
que é feito de ternura amarrotada,
da frescura que vem depois do sol,
quando depois do sol não vem mais nada...

Olho a roupa no chão: que tempestade!
Há restos de ternura pelo meio,
como vultos perdidos na cidade
onde uma tempestade sobreveio...

Começas a vestir-te, lentamente,
e é ternura também que vou vestindo,
para enfrentar lá fora aquela gente

que da nossa ternura anda sorrindo...
Mas ninguém sonha a pressa com que nós
a despimos assim que estamos sós!

por David Mourão-Ferreira
fotografia de Ellington

16 comentários:

gabrielle disse...

a genialidade de Mourão-Ferreira (o melhor dos Davids),a excepcionalidade da tua escolha e a ternura...

beijo daqui

Ana disse...

Quanta vontade de sentir os lonçois brancos tocar nossos corpos,
Quanta vonte de despir a nossas roupas!
Um beijo

Marta disse...

Gosto muito deste poema de David Mourão Ferreira, que coloquei e comentei no meu blog "Com Amor"..
Tudo que é feito com ternura, revive-se com ternura, entranha-se em nós nessa pressa de nos sentirmos completoss.
Boa escolha..
Beijos e abraços
Marta

Luxúria sentida... disse...

a ternura é dos sentimentos mais poderosos e intensos que se pode ter...pode começar devagarinho e terminar numa entrega total com um timbre baixinho...
bela escolha!
bjs de luxo

Indie disse...

a ternura veste-se e despe-se como se muda de camisa, ao sabor do apetite, conforme a conveniência

Diva disse...

Meu Caro Pedro M,

não me diga que foi de férias e não disse adeus às amigas?

Eu nem quero acreditar!!!

Bisou

Fragmentos Intemporais disse...

O poder da sedução misturado com 4 paredes!

EROTICAMENTE FALANDO

http://eroticamentefalando.blogspot.com

SEMPRE CONTIGO

Marta disse...

Olá, Pedro..
Só para avisar que o blog faz 5 anos e espero que passes por lá durante a próxima semana.
Beijos e abraços
Marta

ángel disse...

Hermoso soneto.


Gracias.

Pedro M disse...

Minha querida Gabrielle

a sensualidade terna do após...
o após dos corpos que se deram e se fundiram...
o após do prazer sentido, partilhado, extremo...

Um beijo

Pedro M disse...

mmm Anna...

deixa-me olhar... deixa-me ver...
tua roupa escorregando em teu corpo...
deslizando lentamente até ao chão...
tua pele que se desnuda...
teu corpo vibrante de desejo...

Um beijo

Pedro M disse...

Minha querida Marta...

é o desejo consumado que em ternura se transfigura...

Um beijo

Pedro M disse...

MInha querida Indie...

ou não tivesse a ternura um destinatário...

Um beijo

Pedro M disse...

ohhh Libertya (LS)...

esse timbre baixinho... do prazer sussurrado... na entrega dos corpos... na libertação dos sentidos...

Um beijo

Pedro M disse...

Minha querida Diva,

infelizmente as férias aconteceram sem serem programadas. A necessidade de terminar os projectos em mãos, e a marcação urgente dos hotéis e das viagens, acabaram por me manter afastado do blog. Espere que me perdoe pela minha omissão.

Um beijo

BYRNE disse...

Engraçado, reler este texto....Que li pela primeira vez imaginem... NUM LIVRO DE APONTAMENTOS DE MATEMÁTICA, CAPAS VERMELHAS....

Como o erotismo, encaixa em qualquer disciplina...è universal..

Desejar, que a seleção dos textos continue assim..

Abraço..