quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Inevitável


Inevitável foi o toque
a procura
a consumação da loucura
a transformar nós dois
em um.
Nada foi comum
Tudo foi vital
anormal...
dentro da normalidade contida
no ato.
Inevitável foi o tato
e meus seios foram teus
... tudo... o corpo todo
sentiu-te em gula
nas entranhas
nas loucas manhas
da manhã-festim...

Inevitável
tatear-me em falso
pra sentir-te pleno
em mim...

por Isabel Machado
fotografia de Minnow e Sharky

8 comentários:

Marta disse...

Torna-se tudo palpável na loucura, na fusão dos corpos....
Gostei...
Beijos e abraços
Marta

Libertya... disse...

no toque reside a magia...
bjs libertyos

mari disse...

Duas expressões a reter, a sentir "... o corpo todo sentiu te em gula nas entranhas..." e "...sentir te pleno em mim." ! Sensações que me intrigam, que me dão uma "fome" de algo que desconheço e que ao mesmo tempo me parece familiar! As vezes o pior inimigo do nosso corpo é a nossa mente! Apenas o meu desabafo! Beijo

Pedro M disse...

mmm Marta...

porque então o prazer se torna inevitável!

Beijo

Pedro M disse...

Minha querida Libertya,

porque após o toque, as barreiras do desejo desabam :-)

Beijo

Pedro M disse...

Ohh Mari, Mari...

a mente só é inimiga do corpo quando o bloqueia na sua busca de plenitude. O verdadeiro orgão do prazer é a mente, é a nossa imaginação quem nos liberta :-)

Um beijo

gabrielle disse...

não sei de que gostei mais... se da foto, se do poema, se dos comentários...




beijo pleno de sentires e de gostares...

Pedro M disse...

MInha querida Gabrielle,

há momentos, há gestos, há desejos inevitáveis...

Um beijo e perdoa-me ter demorado tanto tempo a responder ao teu comentário :-)