quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Assim que te despes


(Versão cantada por Cristina Branco)

Assim que te despes
as próprias cortinas
ficam boquiabertas
sobre a luz do dia

Os teus olhos pedem
mas a boca exige
que te inunde as pernas
toda a luz do dia

Até o teu sexo
que negro cintila
mais e mais desperta
para a luz do dia

E a noite percebe
ao ver-te despido
o grande mistério
que há na luz do dia

por David Mourão-Ferreira
fotografia de Trevor Watson

2 comentários:

Íntimas Intenções by Anita disse...

Ai nossa! Que imagem....ah, sim a poesia também é tudo de bom rs.

Pq por estás bandas de cá não são todos assim?!

Se desejar me visitar sinta-se à vontade.

Beijos,
Anita
http://intimasintencoes.blogspot.com

Pedro M disse...

Minha querida Anita

Fiquei na dúvida. O que desejaria que fossem todos assim? Poetas como Mourão-Ferreira? Ou estaria a pensar no "grande mistério" de que fala o poema? :-)

Um beijo