sexta-feira, 27 de junho de 2008

Menina e moça


Está naquela idade inquieta e duvidosa,
Que não é dia claro e é já o alvorecer;
Entreaberto botão, entrefechada rosa,
Um pouco de menina e um pouco de mulher.

Às vezes recatada, outras estouvadinha,
Casa no mesmo gesto a loucura e o pudor;
Tem cousas de criança e modos de mocinha,
Estuda o catecismo e lê versos de amor.

Outras vezes valsando, o seio lhe palpita,
De cansaço talvez, talvez de comoção.
Quando a boca vermelha os lábios abre e agita,
Não sei se pede um beijo ou faz uma oração.

Outras vezes beijando a boneca enfeitada,
Olha furtivamente o primo que sorri;
E se corre parece, à brisa enamorada,
Abrir as asas de um anjo e tranças de uma huri.

Quando a sala atravessa, é raro que não lance
Os olhos para o espelho; e raro que ao deitar
Não leia, um quarto de hora, as folhas de um romance
Em que a dama conjugue o eterno verbo amar.

Tem na alcova em que dorme, e descansa de dia,
A cama da boneca ao pé do toucador;
Quando sonha, repete, em santa companhia,
Os livros do colégio e o nome de um doutor.

Alegra-se em ouvindo os compassos da orquestra;
E quando entra num baile, é já dama do tom;
Compensa-lhe a modista os enfados da mestra;
Tem respeito a Geslin, mas adora a Dazon.

Dos cuidados da vida o mais tristonho e acerbo
Para ela é o estudo, excetuando-se talvez
A lição de sintaxe em que combina o verbo
To love, mas sorrindo ao professor de inglês.

Quantas vezes, porém, fitando o olhar no espaço,
Parece acompanhar uma etérea visão;
Quantas cruzando ao seio o delicado braço
Comprime as pulsações do inquieto coração!

Ah! se nesse momento, alucinado, fores
Cair-lhe aos pés, confiar-lhe uma esperança vã,
Hás-de vê-la zombar de teus tristes amores,
Rir da tua aventura e contá-la à mamã.

É que esta criatura, adorável, divina,
Nem se pode explicar, nem se pode entender:
Procura-se a mulher e encontra-se a menina,
Quer-se ver a menina e encontra-se a mulher!

Por Machado de Assis
fotografia de Pascal Abadie

18 comentários:

lalisca.cs-life disse...

É uma idade espectacular, mas não troco os meus 30 por nada deste mundo!!
...lindo!
beijo

Bombocaa disse...

Quem...eu?
eheheh

Desnuda disse...

Maravilhaaaaaaaaa! Pedro, seu bom gosto é incontestável! E tão familiar certos versos...


E na leitura vi um pouco de mim. Um pouco ou muito de cada mulher.

"em cousas de criança e modos de mocinha..."

"Procura-se a mulher e encontra-se a menina,
Quer-se ver a menina e encontra-se a mulher!"

E assim me vi: passado e presente para ainda recordar no futuro bem próximo.


Beijos e ótimo fim de semana!

Jade disse...

Menino e moço...

A idade do inicio da vida sexual,
que por conta da atracção fisica,
da curiosidade,
dá-se o desejo de perder a virgindade...
:)
Um beijo

P.S.: Não é uma revelação...ah!

vita disse...

A maturidade dá coisas muito boas, mas a juventude foi o principio e isso é algo que não se esquece.;)

Beijos

Marta disse...

O despertar...
Das sensações, das emoções, o conhecer o corpo....
Bom em qualquer idade.....
Beijos e abraços
Marta

Valéria disse...

Esta noite vou ser o teu orgasmo.
Beijo

Gulosos disse...

Um poema que ilustra bem as sensações iniciais do amor.

No entanto, nada melhor que a experiência no "ramo" para conseguirmos atingir a plenitude.

Bjocas Gulosas

Doce Veneno disse...

Uma verdadeira Lolita ... Conheço alg assim.. Mas n te digo kem é eheheh

Beijinho

Pedro M disse...

Lalisca para Balzac, a menina mulher revelava-se aos 30...

Um beijo

Pedro M disse...

mmm... Bombocaa, sim... tu...
doce e cruel, inocente e atrevida :-)

Um beijo

Pedro M disse...

Sam... no teu corpo de mulher... na tua alma de menina...

Um beijo

Pedro M disse...

Ohhh Jade curiosidade e atracção sim, mas também um desejo que a queima, que a faz provocar. Um desejo de tocar e ser tocada, de sentir...

Um beijo

Pedro M disse...

Vita sim a lembrança do primeiro beijo, do primeiro toque, da pele quente, dos corpos nús que se descobrem maravilhados, curiosos, extasiados... e que fica como que marcada a fogo, à espera que um olhar a desperte.

Um beijo

Pedro M disse...

mmm Marta... cada vez como a primeira... o prazer da descoberta, dos sentidos que despertam, dos mil e um odores e sabores que nos seduzem. Sempre diferente... sempre única... mostra-me...

Um beijo

Pedro M disse...

ohhh Valéria... deixa-me fechar os olhos e imaginar tua pele, teu toque... esta noite...

Um beijo

Pedro M disse...

meninos Gulosos, a experiência é irrepetível!

Beijo e abraço

Pedro M disse...

Minha Doce Veneno... minha querida Lolita :-)

Um beijo