sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Erótica


amar-te, ter-te em segredo
lamber-te, sugar teu grelo
gravar meus dentes em tua carne
cravar-me intenso, em ti, inteiro
sensação, sentir o teu cheiro
levar-nos, leve, a paixão
levar-me, elevar-me
enlear-me em teus enlevos
ler e reler teu corpo
saborear teu enredo
arredio, rumino e rio
num rasgo, rodopio e arrepio
aí rimo teu nome com desejo
sonho, com tua saia, teu seio
e seja o que for, com teu beijo
delírio, quente, febril
imagino, morro, desvio
de tudo, meu desvario
devaneio, louco, atrevido
me entrego, para ti, me deixo
em ti, e tu, rouca
embriaga-se com meu leite
e abate-se sobre o meu leito

por Eduardo Durso
fotografia de autor desconhecido

4 comentários:

A Silenciosa disse...

Que desatino delicioso.


Beijo meu

Ana disse...

Que excitante poema, e que alucitante foto.
Quantas lembranças me trás!
Quanta vontade de morder a tua pele, de me embrigar com o teu cheiro.
Quanta ansia de percorrer o teu corpo com os meus lábios humedecendo-te...vendo os teus olhos luzir de desejo, até que me pegues nua e me envolvas em teu corpo quente e louco de prazer...
Um grande beijo

Pedro M disse...

mmm Silenciosa... um desatino apaixonado, ardente, extremo...

Um beijo

Pedro M disse...

mmm minha querida Ana...

Que vontade de arrancar tua roupa... colar meus lábios nos teus...
tomar tuas nádegas em minhas mãos...
sentir-me preso em ti,
num amplexo de paixão e loucura!

Um beijo