quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Luz depois do mergulho


depois de te amar saio refrescada
transparente nascida água
matéria de cisterna
de fosso fundo eterna
na tua profundidade

depois de me encharcar volto cristalina
do escuro à tona respiro
busco a luz que te defina:
água, talvez
água fugaz corpo piscina

por Cláudia Roquette-Pinto
fotografia de Aleksandr Bratukhin

8 comentários:

♀ Venus disse...

E da escuridão se fez luz...
Luz no corpo de uma fêmea, sensual, fresca e vestida de beleza lúcida.

Adonis, mais uma vez, um post só teu: palpitante.

Beiju

Mariana disse...

Delícia que é te ler.

Marta disse...

Reencontro-me...
Húmida, quente...
Sorridente, desejosa...
Sempre na busca da luz...
Boa escolha...
Obrigada pela visita...
Beijos e abraços
Marta

Pedro M disse...

mmm Vénus...

vem... despe teu vestido, veste tua beleza nua...
mergulha... deixa-me descobrir tua sensualidade, tua humidade fresca, salgada...

Um beijo

Pedro M disse...

Ohhh Mariana...

Delícia é descobrir-te, assim cristalina, transparente, luminosa, como água pura reflectindo o luar.

Um beijo

Pedro M disse...

mmm Marta...

vê como o luar se reflecte na água cristalina e pura...
vê como o luar se reflecte no teu sorriso...
vê como o luar te descobre, cristalina, transparente... nua...

Um beijo

Ana disse...

Depois de te amar sinto-me livre,
Possuida como nunca o fui!
Depois de amar, sinto o mundo a meus pés,
Sinto a limpidez do teu olhar,
A transparencia do teu sorriso!
Eu sinto alí, nos teus braços,
o desejo, a paixão.
Sinto-me mulher amada, ali, apenas naquele momento!
Um beijo Pedro M.

Pedro M disse...

Ohh Ana...

Perturbas-me quando imagino
teu corpo despido,
exposto ao meu desejo.

Perturbas-me quando imagino
que te possuo na volúpia da paixão.

Perturbas-me quando te imagino,
sorriso na traquina na transparência do teu olhar.

Um beijo