segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Gozo II


Desvia o mar a rota
do calor
e cede a areia ao peso
desta rocha

Que ao corpo grosso
do sol
do meu corpo
abro-lhe baixo a fenda de uma porta

e logo o ventre se curva
e adormece

e logo as mãos se fecham
e encaminham

e logo a boca rasga
e entontece

nos meus flancos
a faca e a frescura
daquilo que se abre e desfalece
enquanto tece o espasmo o seu disfarce

e uso do gozo
a sua melhor parte

por Maria Teresa Horta
fotografia de Garm

2 comentários:

Marta disse...

O culminar da paixão...
Quente, húmida...
Obrigada pela partilha....
Beijos e abraços
Marta

Pedro M disse...

Minha querida Marta

quente e húmida como o ventre de mulher desejada...

Um beijo