sexta-feira, 4 de julho de 2008

Joelho


Ponho um beijo
demorado
no topo do teu joelho

Desço-te a perna
arrastando
a saliva pelo meio

Onde a língua
segue o trilho
até onde vai o beijo

Não há nada
que disfarce
de ti aquilo que vejo

Em torno um mar
tão revolto
no cume o cimo do tempo

E os lençóis desalinhados
como se fosse
de vento

Volto então ao teu
joelho
entreabrindo-te as pernas

Deixando a boca
faminta
seguir o desejo nelas.

Por Maria Teresa Horta
fotografia de Aquarelle

16 comentários:

lalisca.cs-life disse...

Pedro descobres estes poemas carregados de erotismo...eu gostei de o ler!!
beijo

Bichinho disse...

Adorei. Beijo fantasma.

MalucaResponsavel disse...

adoro os poemas dessa mulher!!!

Marta disse...

Como sempre, uma escolha forte, carregada de sensualidade e desejo...
Bom domingo...
Beijos e abraços
Marta

O Sussurrar do Corpo disse...

Um sussurro...

Gulosos disse...

Um poema extremamente envolvente e sensual, que há medida que se vai lendo é como se sentissemos as sensações percorrendo todo o nosso corpo.

Bela escolha.

Bjos Gulosos

Pedro M disse...

Lalisca, e eu gostei que me tivesses visitado para o ler.

Um beijo

Pedro M disse...

Bichinho! Que bom ver-te de novo por aqui!

Um beijo

Pedro M disse...

Olá Maluquinha. Também gosto, é muito sensual!

Um beijo

Pedro M disse...

Marta, a sensualidade e o desejo são o alimento da alma :-)

Um desejo

Pedro M disse...

Olá Ly! É sempre um prazer escutar-te :-)

Um beijo

Pedro M disse...

Meninos Gulosos, são essas sensações que nos adoçam a vida :-)

Um beijo

Auréola Branca disse...

Pedro, é uma pena que está tão longe. Gostaria de provar sua sensibilidade...

Pedro M disse...

Auréola Branca, também a sua me desperta o desejo...

Um beijo

Bia disse...

Sensual... quente...


miminhos... atrevidos!

Pedro M disse...

mmm... Bia, sensual... quente... como tu :-)

Um beijo