quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Impudique


Les verges de la nuit caressent mon fruit rouge.
Sous la robe de lune à la pulpe de lait,
Je me donne ivoirine au souvenir défait.
Sur le front de ma peau nulle ride ne bouge.

Ma veine coule noire et mes jambes de gouge,
Comme de grands pinceaux, redonnent un attrait
A la toile sépia d’un lugubre portrait
Gisant sur le plancher décati de mon bouge.

J’entends ton pas de plomb montant l’escalier.
Ton ombre se dessine au bord du palier.
Je recouvre mon corps d’une main transparente.

Sur le ventre brûlant court un doigt vagabond ;
Soudain mon impudeur en devient apparente,
Tu asperges de feu le désir moribond.

par Christiane Kuhk, extrait du livre Métaphorain
photographie de Tuta

4 comentários:

gabrielle disse...

uma tempestade de emoções toma conta de mim quando percorres o meu corpo... quando me beijas a boca, a nuca, os seios... quando saboreias o meu corpo centímetro a centímetro, prendendo os meus mamilos na tua boca, tacteando devagarinho até chegares ao meu umbigo... quando puxas o meu ventre para ti e eu arqueio as costas fazendo dele uma taça que lambes sedento antes de tocares o meu clítoris com a ponta da língua... quando o rodeias com a tua boca, e fazes entrar a tua língua entre os meus lábios, saboreando-me, molhando os teus lábios em mim, sentindo-me quente, húmida, explodindo de prazer... quando te aperto com as coxas, prendendo-te contra mim enquanto os espasmos me percorrem. quando mal te liberto me sinto de novo puxada para ti, quando encostas o teu corpo ao meu, o teu sexo queimando o meu, quando entras... aos poucos, olhando-me nos olhos, medindo o meu prazer pelo brilho do meu olhar, até que sentes que os nossos ventres se tocam, que as minhas pernas te rodeiam o corpo e te puxam para mim, para dentro de mim, em movimentos lentos, profundos... quando corpos colados, as tuas mãos agarram as minhas nádegas, como se quisesses entrar todo em mim, e eu descanso os meus lábios no teu peito. os corações acelerados, o ritmo alucinado...

Pedro M disse...

mmm minha querida Gabrielle...

e quero... desejo... entrar todo em ti...

Um beijo

Indi disse...

que pena não saber francês, tenho de me contentar com a imagem

Pedro M disse...

mmm minha querida Indi...

imagem já de si deliciosamente impudica :-)

Um beijo