terça-feira, 12 de maio de 2009

Homenagem


Ah, o pecado!
Viva o pecado
Que esconde em si
A mais casta virtude.
Pequemos todos, então,
Pois a alternativa
É sermos todos pequenos e vãos.

Deixemos correr
Mãos sobre nádegas
E olhares incestuosos
Sobre nossas próprias amantes.
Degolemos padres e pastores
(que também pecam, só que pecam
escondidos)
Pelo horror de terem inventado
As velhas beatas que nunca souberam
pecar.

E pequemos sem culpa
Porque culpa e pecado
Não sabem dançar um maxixe,
Só valsas vienenses.
Quando muito!
O pecado é belo,
Fulgurante e molhado;
Feito para ser deliciado
Como outra língua em nossa boca.

Fiquemos apenas com a angústia
Do pecado mal feito
Ou do jamais cumprido.
Pequemos o aqui e no agora
O pecado doce
Da quase-castidade abandonada.

Sem o pecado
Não acredito na sinceridade de Deus.

por Paulo Mont'Alverne
fotografia de Daniel Oliveira

6 comentários:

Marta disse...

Se pecar é amar....com desejo intenso, desarrumado...
Mistura-te nas cores frescas do meu post...
Até lá
Beijos e abraços
Marta

*§ Marie §* disse...

Lindo,
Pus a musica no blog! Lindo lindo Obrigado

Pedro M disse...

Ohhh minha querida Marta,

pequemos então, condenemo-nos a arder na chama quente do desejo e do prazer...

Um beijo

Pedro M disse...

Minha querida Marie,

inspirou-me... :-)

Um beijo

P.S.: procurei o seu blog e não o encontrei. Espero que o desaparecimento seja apenas temporário :-(

Indie disse...

ah o eterno fruto proibido... as castas e puras são as mais procuradas para pecar

Pedro M disse...

Ohhh minha querida Indie...

tão castas, tão puras... tão sedutoras...

Um beijo