sexta-feira, 19 de junho de 2009

Modo de amar ― XV


A boca ― A rosa

Entreabre-se a boca
na saliva da rosa

no raso da fenda
na fissura das pernas

Entreabre-se a rosa
na boca que descerra
no topo do corpo
a rosa entreaberta

E prolonga-se a haste
a língua na fissura
na boca da rosa
na caverna das pernas

que aí se entre-curva
se afunda
se perde

se entreabre a rosa
entre a boca
das pétalas

por Maria Teresa Horta
fotografia de Garm

4 comentários:

Ana disse...

Uhm! Que inspirador!!!
Beijos
Ana

♀ Venus disse...

Ai meus calores...
P, saudades de aqui passar e ler-te nesses versos e desejos fotografados.
Bom saber que teus sentidos continuado apuradíssimos, ;)

Beijus meus

Pedro M disse...

Ohhh minha querida Ana...

deixa que me inspire,
em tua boca...
em teus seios...
em teu ventre que me guia,
ao néctar que de ti flui...
em tuas coxas que se entreabrem
e me convidam...
ao prazer... à luxúria...
à paixão dos corpos que se consomem...

Um beijo

Pedro M disse...

Minha querida Vénus...

é esse calor... tropical... que me inspira :-)

Um beijo