segunda-feira, 2 de março de 2009

Canto de nudez


Dá-me tua nudez,
Tua nudez húmida
Outorgada em pêlos e dobras,
Nas dobras desfeitas
De dez e mil lençóis

Dá-me tua nudez,
Tua nudez traçada,
Declarada em gotas e curvas,
Nas vidas desfeitas
Por uma ou tantas canções.

Dá-me tua nudez,
Tua nudez rasgada,
Marcada em veias e carnes,
Nos pactos esquecidos
De todas e outras juras.

Dá-me tua nudez,
Tua nudez faminta,
Destrancada de almas e corpos,
Nos sonhos destruídos
De meus e teus desejos.

por Paulo Mont'Alverne
fotografia de Guido Argentini

6 comentários:

cassamia disse...

apetece-me a entrega, apetece a rendição, apetece a submissão...

Indie disse...

...nua só com um véu, todo o resto eu dou

Pedro M disse...

mmm Cassamia...

os amantes submetem-se... o prazer do outro é o nosso prazer...

Um beijo

Pedro M disse...

mmm minha querida Indie

deixa cair teu véu,
dá-me tua nudez...
húmida... traçada.. rasgada... faminta...
impudica...

Um beijo

Marta disse...

Mas deixo os desejos à flor da pele...
Divago no teu corpo nu....e sonho-me em ti...
Beijos e abraços
Marta

Pedro M disse...

mmm Marta...

deixa-me então guiar-te em meu corpo...

Um beijo