quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Vagina II


Tenho a ânsia infinita de te possuir
até o fundo, sem qualquer constrangimento.
E ao mesmo tempo quero fazer-te sentir
-se, então, senhora nem que por um momento.

Em meio à faina, meio da batalha.
Espada em riste, sem traço de clemência.
Afasto as portas de tua residência
e cravo tudo rompendo a tua malha.

E ao sentir-se tão fundo lancetada
tua vagina entrega-se de todo,
vibra por dentro, toda encharcada
e me domina enquanto eu a fodo.

E a luta afasta de nós todas as éticas
no afã de possuir a alma alheia.
Uma ciranda entoada sem poéticas,
uma charanga expressa em carne, nervo e veia.

E eu te domo, gazela desfreada.
E eu te como, boceta enfurecida.
Eu te quero assim, escancarada,
pra despejar em ti a minha vida.

E se aproxima a última estocada
o frenesim expresso, uníssono dueto
tua boceta me traga esfaimada
e te devoro no teu fundo aposento.

Mas num momento em que tudo é mais tudo,
como se fizesse a morte inquilina.
nesse instante supremo eu fico mudo
e me rendo, inteiro, em tua vagina

Por CAlex Fagundes
fotografia de Pixellinde (
Ghislain Lindeboom)

41 comentários:

Carinho disse...

Vou continuar calada para não estragar o poema...
O silêncio por vezes vale por mil palavras...
Lindo o que escreves...
Beijos e caricias.

Anónimo disse...

Como o autor se rende, assim me rendo eu muda à tua escolha.
Escolha perfeita para sabores perfeitos.
sinto o palpitar da citação descrita neste poema, imaginando que tu és o poeta e eu a sua musa inspiradora.

Anónimo disse...

"La mujer que
Al amor no se asoma
No merece llamarse mujer
Es cual flor que
No esparce su aroma
Como un leño que
No sabe arder
La pasión tiene
Passion has
Un magico idioma
Que con besos
Se debe aprender
Puesto que una mujer
Que no sabe querer
No merece llamarse mujer
Una mujer debe ser
Soñadora coqueta y ardiente
Debe darse al amor
Con frenético ardor
Para ser una mujer"
Um beijo Pedro M.

Pedro M disse...

mmm... Carinho, deixa-me sentir os teus beijos e as tuas carícias... assim... suavamente... na minha pele.

Um beijo

Pedro M disse...

mmm... minha querida Anónima deixa-me sentir como palpitas minha musa inspiradora...

Um beijo

Anónimo disse...

Como o Sol nasce a cada madrugada, assim eu espero por ti...
Como o veado busca a fonte cristalina assim em busco por ti...
Só depende de ti... tu e só tu

Pedro M disse...

Ohhh... minha querida Anónima, como te desejo assim, sonhadora, coquete e ardente. Como te desejo assim mulher corpo, mulher alma, mulher paixão!

Um beijo

Pedro M disse...

Minha querida Anónima seduzes-me com as tuas palavras. Se dependesse de mim serias minha e eu teu.

Um beijo

Anónimo disse...

Como me deixas expectante, sonhadora!
Sonho me sinto humida de desejo!
Como flama m'alma...

Pedro M disse...

Minha querida Anónima, também tu me perturbas... perco o controlo sobre minhas mãos, imagino-as tuas, e sinto como o desejo me deixa duro, palpitante, qual espada em riste, pronta a romper tua malha...

Um beijo

Doce Veneno disse...

"Num momento em que tudo é mais tudo (...)"

Neste instante supremo, todos sabem que mais uma vez foste rendido aos meus encantos. Não tenho pudor, nem fico muda. A minha voz fala pelo momento e deixo que rendido, suspires encostado ao meu peito ... com carícias.

Beijo Pedro ...

Marta disse...

E, rendida fico....
Reclamo apenas um beijo prolongado...
Beijos e abraços
Marta

Carinho disse...

Na minha pele ou na tua?

Um carinho e uma caricia.

Anónimo disse...

Sinto minha língua rebelde, perdida em busca da tua pele.
A ti me rendo... vem, aqui te espero, possui-me rasga-me, que a tua espada rasgue a minha malha que muito te invoca.
E aí entre lençois repouso em ti meu corpo, elevo muinha boca em teu regaço... beijo-te ardentemente, devoro-te como a chama que abraça o tronco duro e seco, que se rende e deixa-se fundir no imenso calor da fusão sem sequer oferecer resistencia.
Um beijo Pedro M.

Pedro M disse...

Ohhh... minha Docinha Venenosa, deixa-me então neste "momento em que tudo é mais tudo", em que finalmente rendido repouso, encostar minha face em teu peito e adormecer inebriado por teu perfume.

Um beijo

Pedro M disse...

mmm... Marta, beijo longo e quente que repouso em teus lábios húmidos...

Pedro M disse...

mmm... Carinho, teus beijos em minha pele, meus lábios na tua...

Um beijo

Pedro M disse...

ohhh... sinto como tua língua acaricia meu sexo... como o deixa duro e entumescido... como o prepara para tomar de assalto teu corpo...

ohhh... não resisto quando me puxas para ti, quando me beijas ardentemente enquanto me recebes em ti, quando me aprisonas em tua vagina quente, húmida... sôfrega... deixa-me fundir-me em ti... assim...

Um beijo

Anónimo disse...

É nessa altura que a noite se transforma em dia, que Lua dá lugar ao Sol. Que o gelo derrete e que as palavras soltas dão aso a palavra obscenas que trocanos e que excitam ainda mais. É aí que, entre gemidos de prazer, os nossos corpos já suados se cruzam e se unem como num só. Falando numa só lingua, como se se conhecessem desde sempre.
Um grande beijo Pedro M.

Pedro M disse...

mmm... minha querida Anónima, estremeço ao imaginarnos assim, suados, encaixados um no outro, nossos corpos num só.
Que esperas?...

Um beijo

Anónimo disse...

Espero-te a ti e só a ti!

Pedro M disse...

vem então...

O_Silencio disse...

Luta sem tréguas, rendição incondicional, na mais antiga batalha do mundo, "do prazer".

Obrigado pela escolha

O Sussurrar do Corpo disse...

Um beijo sussurrado

Anónimo disse...

Vem tu e quando quiseres que te aguardo
m beijo Pedro M

Pedro M disse...

Em silêncio também eu me rendo a ti.

Um beijo

Pedro M disse...

Ly, um beijo, um murmúrio de prazer para ti!

Pedro M disse...

Guia-me então até ti, minha querida Anónima.

Um beijo

Carinho disse...

Quantas são as vezes
Em que a tua miragem vejo
Em que nos teus lábios beijo
Quase sentindo a sua doçura

Quantas são as vezes
Em que o teu calor me aquece
Na pele que não esquece
A tessitura do teu sentir

Quantas são as vezes
Que nem eu sei contar
De tanto querer amar
O beijo do teu sorriso

Quantas são as vezes
Pergunto-me eu
Que se não te visse nos meus sonhos
Morreria de saudade

Porque não quero morrer sem te viver...

beijo-te, docemente

Pedro M disse...

mmm... Carinho não me deixes a mim morrer sem sentir a doçura de teus lábios, a alegria de teu sorriso, o calor de tua pele, a loucura do teu desejo!

Um beijo

Carinho disse...

Não me deixes morrer sem sentir o calor do teu corpo no meu, as tuas mãos percorrendo a minha pele e o teu prazer juntar-se ao meu...

Beijo acariciado

Anónimo disse...

Pedro M tu sabes o caminho, segue a tua intuição (tenta...)
Um beijo quente e humido

Pedro M disse...

Ohhh Carinho... apaga este fogo que em mim acendes...

Um beijo

Pedro M disse...

Minha querida Anónima, fecho então os meus olhos e sigo o meu instinto :-)

Um beijo

Pedro M disse...

Minha querida Anónima, recebi o poema que me enviaste. Obrigado, é extremamente intenso :-)
Apenas não "libertei" o comentário/poema, porque me recordei de o já ter colocado num post.

Um beijo, tão intenso como o do poema!

Pedro

P.S.: Àqueles que não resistirem à curiosidade, convido-os a visitarem o meu post de 3.Mar.2008, O beijo.

Anónimo disse...

Pedro, onde para o teu instinto ? Ainda nao o senti!

O ato
Nossos corpos se abraçam,
as mãos se entrelaçam.
Nos olhos o desejo,
nas bocas que se unem
a ânsia dos beijos.
A respiração se entrecorta.
Minhas mãos acariciam seu corpo,
que responde ao meu
em busca da posse.

Meus seios, nas suas mãos,
duas taças que transbordam
o vinho do prazer.
Suas mãos, as minhas..
caminham entre nossas pernas,
buscando passagens secretas.

A fenda que umedece, se abre,
recebe o falo ereto
que penetra, mete, arremete,
se inunda de louco prazer...

Minha voz num sussurro,
tenta eliminar seu cansaço...
Sua fronte no meu colo pousa,
serena, em descaso...
Minhas mãos,
Qual plumas,
passeiam ávidas pelo teu corpo...

Minha boca te acaricia
e no mais profundo
do teu ser... Vem amparar teu gozo.

Sempre e mais, nos debatemos
nesse desejo louco,
que cresce, entumece, alaga e
despe nossas almas
e nos faz feliz, por ora...
Com tão pouco!

“Asta Vonzodas”

Pedro M disse...

Mina querida Anónima, o instinto nem sempre é muito exacto :-(

Um beijo

MalucaResponsavel disse...

"Tenho a ânsia infinita de te possuir
até o fundo, sem qualquer constrangimento", adorei. grande início. bj

Pedro M disse...

mmm... minha querida Maluquinha, é sempre um prazer ter-te aqui!

Um beijo

ángel disse...

Bello poema, Pedro, hermosa imagen.

Gracias.


Saludos...

Pedro M disse...

Olá Ángel!
Obrigado pela visita. É sempre um prazer tê-la por aqui. O poema é o retrato da batalha entre dois guerreiros que se degladiam na busca do amor e do prazer mútuo. A imagem é um momento único, é o repouso dos guerreiros :-)

Um beijo